O livro já se encontra disponível, caso pretenda o seu, p.f. envie e-mail quintadocavalokiron@gmail.com!

Disponível em Português e Inglês!

Os Cavalos Terapeutas

A minha jornada com cavalos

O mais antigo testemunho sobre a domesticação do cavalo remete-nos a 4000 anos a.C., durante séculos, os equinos foram os nossos fiéis parceiros nas guerras, nas viagens, na agricultura e podemos dizer que, sem sombra de dúvida, nos ajudaram a construir o mundo moderno. Atualmente, foram substituídos pelos motores dos nossos veículos e parece que não lhes resta mais para brilhar que o mundo equestre.

E se os equinos tivessem ainda muito para nos dar numa área ainda pouco divulgada? O mundo das terapias, do desenvolvimento pessoal e da conexão entre espécies. Todas as pessoas que estiveram em contacto com cavalos dizem que esse contacto ocasionou nelas uma mudança. No entanto ninguém sabe dizer exatamente como isso aconteceu.

Neste Livro Nathalie Durel conta-nos, através da sua jornada existencial com os seus cavalos, de que forma os equinos podem tornar-se poderosos guias para a nossa transformação. Esta obra leva-nos numa extraordinária viagem pelo mundo dos equinos desde o início dos tempos até aos dias de hoje, tentando explicar numa visão holística todas as formas de intervenção terapêutica existentes com a ajuda desses seres maravilhosos.

Também salienta a dívida que a nossa civilização tem em relação a eles e a importância de mudarmos a nossa maneira de os tratar, que passa pelo respeito da sua verdadeira essência.

Quinta do Cavalo Kiron - Cavalos Terapeutas

O Feminino Reencontrado

Prefácio de Filipa Rasteiro Miles

Através de “O Feminino Reencontrado” Nathalie Durel Lima oferece-nos, às mulheres do século XXI, preciosas ferramentas para aprofundarmos a nossa caminhada interior. Com a sua percepção transpessoal e junguiana, Nathalie guia- nos como psicoterapeuta, assim como mulher, através da mitologia das deusas gregas enquanto arquétipos, numa jornada inesquecível, que nos vem relembrar as nossas origens primordiais.

Como nomeadamente Marija Gimbutas, na sua obra “ A Linguagem da Deusa”, e Monica Sjöö e Barbara Mor em “A Grande Mãe Cósmica”, Nathalie Durel Lima volta a lembrar-nos que “ No início era… A Mãe.” Certamente que as origens do ser humano já datam de há muito: o nosso mais antigo antepassado “ Homo Sapiens ” data de há cerca de 200 mil anos, mas calcula-se que o papel do feminino já tinha lugar muito antes. De acordo com Darwin, no seu livro “ A Descendência do Homem e Selecção em relação ao Sexo” (1871), desde o início, o princípio feminino foi primordial. No nosso planeta Terra, há mais de dois biliões e meio de anos, somente existia um vasto oceano feminino, onde todas as formas de vida orgânica se reproduziam “partenogeneticamente” (forma assexual de reprodução encontrada na fêmea onde o crescimento e a evolução de um embrião ocorrem sem a fertilização de um macho).

Citando a obra literária “ A Grande Mãe Cósmica” de Sjöö e Mor, “A biologia não é destino – mas, tal como o mar, é um início. Durante, pelo menos, os primeiros 200 mil anos de vida humana na terra, os mistérios da biologia feminina dominaram as religiões humanas e o seu pensamento artístico, assim como a sua organização social. As primeiras imagens humanas encontradas até à data são as guras denominadas “Vénus”, encontradas nos vestígios da era Paleolítica Superior (35 mil a 10 mil anos A C)… Representam imagens mágicas do misterioso poder da fêmea para criar vida dentro de si própria e de se sustentar.”

Assim, podemos constatar a importância do feminino desde o início: não somente a partir das origens humanas, como também nas origens biológicas, arqueológicas e etnográficas do nosso planeta. Em 1989, Marija Gimbutas defendeu firmemente a hipótese de que existiu uma sociedade “matrifocal” e, dentro dela, o culto à Grande Deusa, venerada por ambos os sexos. Nathalie Durel Lima vem, por sua vez, relembrar-nos as nossas origens, assim como oferecer-nos as ferramentas terapêuticas com as quais podemos reencontrar o nosso poder primordial feminino. Ela mostra-nos como podemos acordar a Deusa Interior que reside dentro de cada uma de nós e, ao fazê-lo, procurarmos de definitivamente sarar as nossas feridas, e dar origem a uma nova era em que reencontramos o nosso poder interior em todo o seu esplendor feminino.

Prefácio de Helena Vasconcelos

É absolutamente imperativo que eu faça uma declaração preliminar: sem a Nathalie, provavelmente, eu não estaria viva. Pelo menos no sentido de que o meu “Eu” já não existiria sem o trabalho inteligente, sensível e competente que desenvolveu comigo. Se estou aqui a escrever, se foi possível ler o seu livro e detectar a cada passo os seus ensinamentos luminosos que me guiaram na minha longa travessia do deserto, se sou uma pessoa tranquila e feliz, alegre e moderadamente capaz de pensar, a ela o devo. (…) Nathalie Durel é uma mulher corajosa que enveredou por esse árduo caminho do conhecimento. O facto de desnudar a sua alma perante nós, de falar da sua própria experiência, é uma atitude de invulgar generosidade e o sinal de uma força poderosa. Ela diz-nos: “vejam, também eu fiz o meu caminho, por isso, aqui estou, ao vosso lado”, o que demonstra uma ausência total de arrogância e uma verdadeira, profunda e luminosa intenção de ajudar as mulheres que a procuram. A sua metodologia é “junguiana”, a sua extensa pesquisa fornece todas as indicações para uma procura pessoal e intransmissível e, ao evitar o tom dos livros de auto-ajuda banais, remete-nos para um universo mágico e simultaneamente real e que, curiosamente, sabemos que faz parte das nossas vidas mas temos dificuldade, por vezes, em descortinar. Neste livro, nós mulheres, aprendemos a (re)conhecer as nossas matrizes, as nossas raízes, o espaço cósmico e ancestral, a partir do qual somos criadas. Nathalie estudou correntes do pensamento ocidentais e orientais, astrologia, história, mitologia e sociologia e remete-nos para os conceitos de arquétipo e de inconsciente colectivo bem como para a teoria da sincronização que, como é sabido, foram formuladas e desenvolvidas por Carl Jung. Por todas estas razões, quem tiver este livro nas mãos e o ler com paixão e interesse, poderá estar certa que possui um apoio, uma companhia e um lugar de inspiração, para toda a vida.

 

Quinta do Cavalo Kiron - O Feminino Reencontrado

O livro está esgotado… Mas a Nathalie Durel não quis que este conhecimento se perdesse, por isso podes fazer o download gratuito do livro em pdf aqui.